Um dos grandes desafios na gestão de um comércio eletrônico está na administração das entregas de cada pedido em tempo hábil. Não se pode optar apenas por velocidade na entrega, desprezando a atenção e cuidado no manejo dos produtos e por conta disso o frete acaba se tornando um dos fatores responsáveis pelo aumento do preço final em compras online. A partir do mês de setembro esse cenário receberá alguns agravantes, uma vez que, mudanças foram anunciadas pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, popularmente chamada de Correios. As alterações atingem as diversas formas de envio oferecidas pela empresa, incluindo o PAC, maneira mais barata e popular de envio.

De onde surgiram essas mudanças?

As novas diretrizes foram construídas com base em um estudo feito pelos Correios e acabará influenciando a rotina de varejistas que utilizam seus serviços, principalmente as lojas de e-commerce que dependem essencialmente desse serviço.

Como foram anunciadas?

As alterações foram anunciadas mediante duas cartas divulgadas nas páginas oficiais da empresa, a primeiro no dia 04 de agosto e a segunda, com algumas retificações, no dia 12 de agosto, ambas em 2016, para aqueles que desejam se aprofundar um pouco nas motivações das mudanças segue ao lado o link para o segundo documento completo.

Como gestor, é importante estar atento a essas alterações, pois elas terão impacto operacional e financeiro no seu negócio, demandando uma reavaliação quase que completa das normas de entrega que sua empresa oferece aos clientes.

Em que pontos as alterações implicam?

As alterações divulgadas pelos Correios serão resumidas abaixo e têm implicações em quatro características de seus serviços: Entregas, Prazos, Indenizações e Seguros.

ENTREGAS

Não serão mais realizadas as 03(três) tentativas de entrega, esse número será reduzido a 02(duas) tentativas, permanecendo o procedimento de envio ao Centro distribuidor mais próximo do endereço de entrega para retirada pelo destinatário. Os procedimentos para retirada nos CD’s continuam os mesmos. Altera-se a quantidade de tentativas após constatar-se uma baixa taxa de sucesso na terceira visita ao endereço.

PRAZOS

Os prazos passarão a ser ESTIMADOS, e não GARANTIDOS como de costume. Portanto, a quantidade de dias exibida no momento de Calcular o Frete não será seguida à risca, possibilitando adiantamento ou atraso das entregas.

INDENIZAÇÕES

Decorrendo do tópico acima, ao tornar o prazo estimado e não garantido, não serão aceitas Reclamações ou Manifestações referentes a eventuais atrasos na entrega, apenas serão recebidos registros de reclamações relacionados a ROUBOS a CARTEIROS, EXTRAVIOS, DANOS (Comprovados) e se o SEGURO FOI CONTRATADO.

SEGUROS

O valor máximo declarado passará a ser de R$3.000,00. Caso a mercadoria ultrapasse esse montante, será dividida em volumes menores, ou, se possível, enviada por um dos serviços da linha PREMIUM, onde o valor máximo atinge os R$10.000,00. O que exceder esses limites não estará coberto pelo seguro.

As considerações acima dizem respeito às formas mais populares de envio, mas, outras modalidades também foram revisadas, trazendo atualizações com menor impacto:

  1. Apenas os serviços SEDEX, SEDEX Hoje, SEDEX 10, SEDEX 12 e e-SEDEX oferecerão indenização por atraso de entrega.
  2. Nos casos de entrega com atraso, referentes aos serviços SEDEX Hoje, SEDEX 10 e SEDEX 12, os Correios passarão a garantir a devolução de 100% dos valores pagos a título de postagem.
  3. Na eventualidade de atraso na entrega, as indenizações dos serviços de encomendas do PAC passam a estar alinhados ao SEDEX e e-SEDEX, sendo os respectivos valores percentuais proporcionais aos dias de atrasos da entrega, conforme se seguem:
  • 10% do valor pago pela postagem, quando o atraso for de 1 dia;
  • 20% para 2 dias;
  • 30% para 3 dias ou mais.

A partir de quando valem as mudanças?

As novas diretrizes começam a valer a partir de Setembro de 2016.

O que Posso fazer para minimizar o impacto dessas alterações?

Os sistemas ERP são uma boa alternativa para melhorar o processo de envio, agilizando o processamento dos pedidos para que o tempo de entrega também seja reduzido, com isso, diminui-se o risco de reclamações. Caso essas existam, recairão sobre o lojista, já que os Correios estarão isentos dessa responsabilidade, portanto um contato transparente com os clientes será necessário, principalmente em e-commerces, pois a garantia de prazos ficará mais complicada.

Fonte: Brascomm